Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ricardo Jorge Claudino

Escritor, poeta de poemas e pensante

Escritor, poeta de poemas e pensante

Ricardo Jorge Claudino

30
Jul20

O destino das estrelas

ricardojorgeclaudino

De noite,
pelas aldeias e pelos campos,
apagam-se as luzes
que dantes não existiam.

Daqui,
graças ao real escuro da noite,
há um reencontro
entre a minha pele
e a luz esbatida das estrelas
— que me falaram há milhṍes de anos-luz atrás.

Daqui,
onde as distâncias são intermináveis,
avisto um dos céus mais estrelados da Europa;
e deixo-me estar, calado mas atento,
à altura do meu insignificante tamanho.

Muito longe daqui,
onde as grandes cidades lampejam
como árvores de natal esquecidas no verão,
há gente com tudo
e há um céu cheio de nada.

Tal como nós,
as estrelas nada decidem sobre a sua nascença
mas após a sua existência
continuam a reluzir nos céus
para que aqui, hoje,
no futuro que foi delas,
as pudéssemos contemplar.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Direitos

Todos os textos e imagens são direitos autorais de Ricardo Jorge Claudino.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D